Ficha técnica:
Projeto e bailarina: Thembi Rosa
Coreografia: Alejandro Ahmed e Rodrigo Pederneiras
Trilha sonora original: O Grivo
Ensaiadora: Paula Cançado
Iluminação: Pedro Pederneiras
Objetos: Daniel Herthel, Guilherme Amarante e Ulisses Tavares
Consultoria de figurino: Luisa Magalhães
Observadora: Christina Barra
Fotos: Daniel Mansur
Técnicos de luz: Eustaquio Bento e Ricardo da Matta
Gestão Financeira: Via Social
Realização: Rosa de Jorge

A idéia de fazer confluir no próprio corpo pensamentos coreográficos gerados em outros corpos, não é simples como parece. Ao contrário da neutralidade que se costuma associar à função do "intérprete" de dança, assimilar idéias compositivas é um processo de criação. Porque o corpo não é um lugar onde se acomodam as informações mas, é um campo de ocorrência dos processos adaptativos entre elas. E o que o corpo seleciona como resultante disso não depende de vontade ou intenção mas das suas condições para criar nexos de sentido - as coerências, que se instauram à custa de convivência. Nesse caso, ensaiar é depurar afinidades.
Sabida disso, Thembi Rosa conduz sua inquietação investigativa para outras praias... ainda mais ameaçadoras do fetiche da autoria tão impropriamente aplicado a situações de contágio informativo, como as do corpo e da dança. Como num jogo, CONFLUIR propõe aos participantes uma dinâmica de composição coletiva baseada no confronto sucessivo entre as suas diferentes regras lógicas de organização técnica-estética, não em busca de alguma solução consensual mas, de acionar possibilidades conjugatórias.
A própria Thembi como tabuleiro modula o espectro da variedade informativa oferecida pelos coreógrafos Rodrigo Pederneiras e Alejandro Ahmed, situando, em si, um intenso conflito de ajuste adaptativo entre padrões de motricidade, configuração e sequencialidade quase antitéticos como pontos de vista artísticos. Mas, deliciosamente, a síntese disso é não-dialética... No corpo da Thembi, instauram-se afinidades antes não imaginadas entre Rodrigo e Alejandro. Nesse CONFLUIR que não é acoplar, articulam-se, ainda, a música do O Grivo e o cenário de Daniel Herthel, Guilherme Amarante e Ulisses Tavares, para buscar numa hipótese de confluência não a sua confirmação, mas sua continuidade investigativa.
Fabiana Dultra Britto
Back to Top